Relatório sobre Alcântara aponta falha humana

Informações obtidas na área militar pelo jornal O Estado de S. Paulo revelam que o relatório da comissão instituída pela Aeronáutica para investigar a explosão do Veículo Lançador de Satélites (VLS-1), em 22 de agosto, na base de Alcântara, Maranhão, na qual morreram 21 pessoas, conclui que o acidente foi provocado por uma descarga elétrica, causada provavelmente por falha humana. O responsável quase certamente estava entre as vítimas da tragédia. A possibilidade de falha humana já havia sido admitida pelo ministro da Defesa, José Viegas, no fim do ano passado. A comissão criada para investigar o acidente com o VLS-1 se reunirá hoje e amanhã no Centro Técnico Aeroespacial (CTA), em São José dos Campos, para concluir o relatório. O documento será divulgado no dia 15 de fevereiro. "Temos evidências concretas de que o desastre ocorreu devido à ignição antes da hora de um dos motores do VLS-1, e que isso foi causado por uma corrente elétrica", disse ontem o físico Fernando Cosme Rizzo Assunção, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), integrante da comissão. O relatório também trará recomendações gerais para o programa espacial brasileiro. "Queremos garantir que acidentes como o de Alcântara não aconteçam de novo no futuro", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.