Relatório que não mostra irregularidade no RS é aprovado

O plenário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou hoje o relatório da CPI da Corrupção por 22 votos a 19. O documento elaborado pelo ex-deputado Coffy Rodrigues (PSDB), cassado em janeiro por infidelidade partidária, não aponta irregularidades na administração pública gaúcha e não faz indiciamentos.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

23 de fevereiro de 2010 | 19h51

A oposição elaborou voto em separado que entregará ao Ministério Público Federal narrando supostos favorecimentos em licitações e propondo indiciamento de 33 pessoas, entre as quais a governadora Yeda Crusius (PSDB).

O deputado estadual Gilberto Capoani (PMDB) disse que a CPI não provou nada e foi somente uma tentativa feita pelo PT de antecipar a campanha política para o período de setembro a dezembro do ano passado.

Sua colega Stela Farias (PT) sustenta que houve um sistema de beneficiamento de concorrentes em licitações que recebeu cobertura de partes do Executivo estadual que exige investigações mais aprofundadas do Ministério Público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.