Relatório preliminar de CPI pede prisão temporária de Waldomiro

O relatório preliminar da Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembléia (CPI) do Rio pede a prisão temporária do ex-assessor de Assuntos Parlamentares da Casa Civil, Waldomiro Diniz, e do empresário do jogo Carlos Augusto Pereira Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Durante cinco meses, a CPI investigou a gestão de Waldomiro na presidência da Loteria Estadual do Rio (Loterj). O relatório preliminar, entregue hoje de manhã aos demais membros da comissão, pede a abertura de processo contra dez pessoas.As acusações contra Waldomiro são por sete crimes: corrupção passiva, prevaricação, condescendência criminosa, formação de quadrilha, fraude à Lei de Licitação e Contratos (artigos 90 e 92), improbidade administrativa (artigos 10 incisos 8 e 12) e crime contra a ordem tributária. Cachoeira, segundo o relatório preliminar, teria cometido cinco crimes: extorsão, fraude à Lei de Licitações e Contratos, corrupção ativa, formação de quadrilha e fraude em concorrência pública.Os relatores também pediram o indiciamento do jornalista Mino Pedrosa (extorsão) e seis ex-funcionários da Loterj (formação de quadrilha e improbidade, entre outros). A CPI da Loterj foi aberta no início de março, depois que a revista Época publicou trechos de uma fita de vídeo que mostra Cachoeira e Waldomiro negociando propinas e contribuições irregulares para campanhas eleitorais de 2002.O relatório preliminar ainda poderá ser modificado na quinta-feira pelos outros membros da comissão. Se aprovado, segue para votação no plenário da Assembléia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.