Relatório pede indiciamento de Roberto Jefferson

O relatório final da CPI Mista dos Correios, apresentado nesta quarta-feira, pede ao Ministério Público Federal o indiciamento do ex-deputado Roberto Jefferson por crimes contra a ordem tributária, corrupção passiva e crime eleitoral. Jefferson foi quem denunciou a existência do esquema do mensalão. Ele acabou cassado por falta de decoro, pois admitiu ter recebido ilegalmente R$ 4 milhões do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O relatório, de autoria do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), enfatiza o fato de o ex-presidente do PTB ter sido citado como "co-responsável" do esquema de corrupção na empresa de Correios e Telégrafos (ECT), um dos motivos que levou à criação da CPI. "O sr. Roberto Jefferson logrou estabelecer uma rede de influência na administração dos Correios, baseada, sobretudo, na indicação política para a ocupação de cargos com vistas à captação de recursos para fins de financiamento eleitoral", afirma o relatório. O texto lembra que Jefferson confessou à CPI a prática de crime eleitoral e contra a ordem tributária ao admitir que "recebera recursos para as campanhas eleitorais de seu partido e que não prestara contas à Justiça Eleitoral dos valores recebidos". De acordo com Serraglio, o esquema nos Correios, "possivelmente engendrado pelo próprio Sr. Roberto Jefferson, comprometeu a boa gestão da coisa pública, resultando no cometimento de atos de improbidade administrativa, tráfico de influência, advocacia administrativa, corrupção ativa e passiva, fraude à licitação, e burla ao instituto do concurso público, entre outros".

Agencia Estado,

29 de março de 2006 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.