Relatório de Cidadania discute situação dos jovens

Num domingo ensolarado no Jardim Ranieri, na zona sul de São Paulo, meninos jogavam futebol na rua. De repente, um carro apareceu com cinco bandidos armados, atirando para todo lado. Estavam atrás de um homem que nem estava ali. Correria. Um dos meninos foi baleado na mão e outro não entendeu direito o que acontecia, mas correu. Tarde demais: recebeu um tiro na nuca.O caso foi contado por um morador da zona sul e faz parte do Relatório Nacional de Cidadania (RNC). É uma entre centenas de histórias que mostram a violência, a discriminação e os problemas de saúde, trabalho, educação e cultura enfrentados por 27 comunidades de baixa renda em 6 Estados - Pará, Pernambuco, Rio, Bahia, São Paulo e Espírito Santo."Trata-se de um grande painel sobre a situação dos direitos humanos, vista e sentida por 135 jovens de 16 a 24 anos", diz o coordenador do projeto Rede de Observatórios de Direitos Humanos, Marcelo Daher. Segundo ele, os dados foram levantados com participação direta dos jovens das comunidades.Os resultados serão mostrados nesta terça-feira no Congresso Nacional e na quarta-feira ao presidente Fernando Henrique Cardoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.