Relatório da ONU aponta aumento do abuso de drogas no Brasil

Órgão diz que consumo de substâncias psicotrópicas em particular permanece alto no país.

BBC Brasil, BBC

19 de fevereiro de 2009 | 16h09

O abuso de drogas aumentou substancialmente no Brasil, segundo o relatório anual da Junta Internacional para a Fiscalização de Entorpecentes (INCB, na sigla em inglês), da ONU, publicado nesta quinta-feira em Viena.De acordo com o documento, apesar de o governo brasileiro ter adotado novas regulamentações para o comércio, a distribuição e o consumo de substâncias psicotrópicas, em particular os estimulantes como anfetaminas e metanfetaminas, ainda há ampla prescrição médica dessas substâncias. O consumo dessas substâncias em particular permanece alto, afirma a INCB, apesar de ter começado a entrar em declínio. O documento diz ainda que o desvio de preparados farmacêuticos que contêm substâncias controladas para o mercado negro também aumentou, ao passo que a disponibilidade de analgésicos à base de ópio permanece inadequada, bem abaixo das necessidades de um país do tamanho do Brasil.O órgão ressalta que apreensões no Brasil, apesar de frequentes, ainda são de pequeno porte.Leia também: Nova rota do tráfico reduz preço de cocaína na Europa, diz ONUDe acordo com a INCB, organizações criminosas estariam cada vez mais se apresentando como empresas fictícias para obter as substâncias químicas necessárias para a fabricação dessas drogas.O documento alerta para os novos canais de desvio da efedrina e pseudo-efedrina, as substâncias usadas na produção de anfetaminas, metanfetaminas e MDMA (ecstasy).Segundo o relatório, os traficantes estariam encomendando as substâncias de empresas legítimas e usando autorizações falsas para importar farmacêuticos contendo efedrina e pseudo-efedrina em países em desenvolvimento, onde o controle das drogas é fraco ou inexistente.A INCB afirma que, em 2008, países africanos importaram consideravelmente maiores quantidades dessas substâncias do que o necessário para suprir a demanda médica e científica anual.A agência da ONU recomenda que todos os governos monitorem de perto as transações comerciais dessas substâncias químicas, já que os traficantes estariam se aproveitando de brechas na legislação internacional para importá-las.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
onuincbjifedrogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.