Relatório da CPI dos Cartões não deve abordar dossiê

Escalado pelo Palácio do Planalto para fazer um relatório "chapa branca" da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista dos Cartões Corporativos, o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) não vai abordar no texto final a montagem de dossiê com gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Depois de três meses de funcionamento, a CPI Mista chega a seu fim esta semana com a apresentação na terça-feira e votação na quinta-feira do relatório preparado pelo petista.Em seu texto, Luiz Sérgio também não vai pedir o indiciamento de nenhum dos envolvidos com o mau uso de cartões corporativos. Segue os mesmos passos da oposição que, na semana passada, apresentou relatório parcial sobre sistematização e fiscalização de gastos dos cartões corporativos. Surpreendentemente, os sub-relatórios feitos pelos deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Índio da Costa (DEM-RJ) não criminalizam nenhum dos envolvidos com o mau uso dos cartões corporativos e nem com a confecção do dossiê contra FHC. Nas 88 páginas do relatório parcial, não há uma única menção à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que ao longo da CPI Mista foi apontada pela oposição como a mandante da elaboração do dossiê contra FHC. Os governistas comemoraram o relatório apresentado pela oposição. "Os sub-relatores reafirmaram minha convicção de que o dossiê serviu de processo de discussão política", argumentou Luiz Sérgio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.