Relator vota a favor da liberdade de Dantas no STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar, hoje à tarde, uma ação que definirá se o banqueiro Daniel Dantas deve voltar para a cadeia ou se ele pode ficar solto. O sócio-fundador do Grupo Opportunity foi preso em julho e libertado dias depois por ordem do presidente do STF, Gilmar Mendes. No julgamento de hoje, o relator do caso na Corte, ministro Eros Grau, votou confirmando a decisão tomada em julho por Gilmar Mendes. Para Eros Grau, não havia motivos para prender Dantas. O ministro fez uma série de críticas às autoridades que atuaram no caso em São Paulo e disse que na democracia o juiz deve julgar, a polícia deve investigar e o Ministério Público (MP), acusar. Segundo Eros Grau, o juiz não pode exercer os três papéis. A expectativa é de que o STF confirme que Dantas deve ficar solto. Os advogados de Dantas e da irmã do banqueiro, Verônica Dantas, falaram durante o julgamento e criticaram duramente o juiz da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, Fausto Martin De Sanctis - responsável pela ordem de prisão do banqueiro -, os policiais e integrantes do MP que atuaram no caso. O advogado de Dantas, Nélio Machado, afirmou que jornalistas obtiveram informações antecipadas sobre as investigações, o que não teria sido permitido à defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.