Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Relator recua e retira doação oculta do texto da reforma política

Doador poderia pedir que seu nome não fosse divulgado à população, independentemente do valor doado

Isadora Peron e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2017 | 21h01

BRASÍLIA - Em um novo recuo, o relator da reforma política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT-SP), anunciou na noite desta quarta-feira, 16, que vai retirar do texto a possibilidade de manter oculto o nome dos doadores de campanha.

O deputado havia incluído a proposta em seu relatório, apresentado nesta terça-feira. Pelo texto, o doador poderia pedir que seu nome não fosse divulgado à população, independentemente do valor doado.

 

A proposta recebeu diversas críticas, inclusive do presidente da comissão, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), que classificou a ideia como “lamentável”, pois dificultaria a fiscalização e não contribuiria com a transparência do processo.

 

Vicente Cândido reconheceu que a pressão popular pesou em sua decisão e afirmou que, como não havia consenso entre os líderes da Casa, ele decidiu retirar a proposta do texto.

A volta da doação oculta estava prevista no relatório que ainda está sendo discutido na comissão e deve ser votado no plenário somente depois de os deputados aprovarem a emenda à Constituição que cria o fundo público eleitoral e estabelece o chamado distritão.

 

Mais conteúdo sobre:
Vicente Cândido Lúcio Vieira Lima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.