Relator recomenda cassação de Arruda e de ACM

O relator do processo de quebra de decoro contra os senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (PSDB-DF), senador Saturnino Braga (PSB-RJ), concluiu que houve quebra de decoro parlamentar pelos dois senadores, com a violação do sigilo do sistema de votação eletrônica do Senado, e pede a punição máxima de ambos, que é a cassação de seus mandatos. O relatório, lido pelo senador Casildo Maldaner (PMDB-SC), e distribuído aos jornalistas, no Comitê de Imprensa do Senado, diz no seu item E, das conclusões, que: "deste processo resultou patente a existência de indícios bastante de prática de atos contrários à ética e ao decoro parlamentar, de modo a justificar a abertura de processo de cassação, mediante as competentes representações contra os senadores Antonio Carlos Magalhães e José Roberto Arruda por fato sujeito à pena de perda de mandato".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.