Relator quer prorrogar CPI do Cachoeira por 48 dias

Em reunião nesta terça, parlamentares não chegaram a acordo sobre término das investigações

Ricardo Brito, da Agência Estado

30 de outubro de 2012 | 20h25

BRASÍLIA - O relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), afirmou nesta terça-feira, 30, que está com o relatório de conclusão das investigações pronto para ser votado em plenário na quarta-feira, 31. Cunha, contudo, defende que as apurações sejam prorrogadas por mais 48 dias para que se faça um debate sobre o relatório e que o texto vá a votação. Em uma reunião encerrada na noite desta terça, na qual não houve acordo, a oposição cobrou a prorrogação dos trabalhos por mais 180 dias. Eles dizem que somente com esse novo prazo será possível avançar nas investigações sobre a movimentação financeira do esquema montado por Carlinhos Cachoeira com a empreiteira Delta.

Diante do impasse, os pedidos de prorrogação serão avaliados somente na quarta. Qualquer um dos pedidos precisa do apoio de pelo menos 171 deputados e 27 senadores. Odair Cunha disse que, no caso do pedido de prorrogação de 48 dias (que é o que ele defende), já há 150 assinaturas de deputados federais. Mas Cunha não soube precisar quantos senadores apoiam essa proposta. Pouco antes, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), defensor da prorrogação por 180 dias, disse que já dispõe de 35 assinaturas no Senado para a sua proposta, mas também não soube especificar quantos apoios tem na Câmara.

"O meu relatório está pronto para ser apresentado hoje (terça-feira)", afirmou o relator, apesar de defender mais 48 dias para a CPI. Ao rebater as críticas dos oposicionistas de que a comissão não aprofundou as investigações, o relator disse que já tem um quadro sobre a movimentação financeira, que alcançaria um total de R$ 84 bilhões. "Aqueles que dizem que a CPI não trabalhou é que não querem investigar", criticou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.