Relator pede sessões extras para julgamento do mensalão

Joaquim Barbosa propôs rediscutir o cronograma a fim de acelerar o julgamento

Eduardo Bresciani, de O Estado de S. Paulo

10 de setembro de 2012 | 19h45

O ministro Joaquim Barbosa defendeu nesta segunda-feira, 10, que o Supremo Tribunal Federal realize sessões extras para acelerar o julgamento do processo do mensalão, do qual é relator. A corte tem feito três sessões por semana, nas tardes de segunda, quarta e quinta-feira. Acertou-se de nessa semana fazer uma sessão extra na manhã de quarta-feira para analisar outros processos. Barbosa, porém, pediu que se rediscuta o cronograma para acelerar o julgamento.

"Peço que reexaminemos a sequência dessa ação penal. Nós encerraremos o terceiro item nessa semana e acho que talvez fosse conveniente fazer sessões extras exclusivamente para o julgamento, do contrario entraremos no mês de outubro e aí por diante", disse Barbosa.

Nesta segunda-feira, o relator gastou toda a sessão para ler seu voto sobre mais um item da denúncia, o que trata de um suposto sistema de lavagem de dinheiro montado pelo Banco Rural e pessoas do núcleo publicitário, comandado por Marcos Valério. Barbosa afirmou já ter resumido um pouco seu voto, mas que, como relator, não tem como diminuir ainda mais.

"Tento terminar o voto em tempo mais curto, mas já reduzi demais, é impossível. Na condição de relator tenho de descrever todos os fatos", justificou.

O presidente do STF, Carlos Ayres Britto, e o ministro Marco Aurélio Mello defenderam que os outros ministros apresentem votos mais curtos. O debate, porém, não prosperou e a sessão foi encerrada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.