Relator do Orçamento nega ter favorecido seu Estado

O relator-geral do Orçamento da União para 2005, senador Romero Jucá (PMDB-RR), negou que tenha favorecido seu Estado na elaboração de investimentos previstos do relatório final, que deve ser votado no plenário do Congresso Nacional ainda hoje. Em entrevista à Rádio Eldorado, ele afirmou que a ampliação de investimentos para Roraima, de R$ 68,7 milhões para R$ 295,4 milhões (aumento de 330%), está "no padrão" dos demais Estados.Ele justificou que os recursos destinados em maior quantidade às regiões mais pobres compensam a diferença em relação a Estados maiores, que já são beneficiados por um atendimento de emendas mais significativo. "Os Estados grandes têm um atendimento de emendas maior do que os Estados pequenos, mas não na proporção do tamanho do Estado, porque ele já vem com proposta do Executivo, de forma a colocar uma série de investimentos que já vêm da proposta dos Ministérios, o que não ocorre com os Estados mais pobres", disse.Para ele, "historicamente" Roraima é um local "bem atendido" e, no Orçamento de 2004, foi contemplado com investimentos abaixo do normal. De acordo com o relator, todas as receitas já foram estudadas e programadas no Orçamento e há um clima de "tranqüilidade" para a votação ser encerrada hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.