Relator do Orçamento diz que indicará mínimo de R$ 540

O senador Gim Argello (PTB-DF), relator-geral do Orçamento federal, adiantou que indicará um valor de R$ 540 para o salário mínimo para o próximo ano, valor superior aos R$ 538,13 definidos pelo governo na proposta original. Ele deve apresentar o relatório preliminar na próxima semana. No entanto, o valor indicado pode subir dependendo das negociações com as centrais sindicais.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

03 de novembro de 2010 | 16h20

Argello deve se reunir com as principais lideranças do setor amanhã, em seu gabinete no Senado. Depois que o candidato derrotado à Presidência José Serra (PSDB) lançou a promessa de um salário mínimo no valor de R$ 600, os sindicalistas querem adotar esse valor como patamar mínimo para as negociações.

Na primeira entrevista coletiva concedida após a eleição, a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), sinalizou que não pretende acolher a proposta de salário mínimo de R$ 600. Ela afirmou que prefere manter a fórmula atual, que leva em conta a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores, mais o valor da inflação. Dessa forma, o salário mínimo deve alcançar valores acima de R$ 600 somente em 2012 e mais de R$ 700 a partir de 2014.

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso se reuniu hoje para votar o relatório de receita da Lei Orçamentária de 2011, de autoria do deputado Bruno Araújo (PSDB-PE). Se o relatório for aprovado, abrirá caminho para a próxima etapa de discussão do Orçamento federal, seguindo para Argello, que indicará o valor do salário mínimo para o próximo ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.