Relator diz que povo cobra a cassação de ACM e Arruda

O relator do processo de violação do painel eletrônico de votação do Senado, Saturnino Braga (PSB-RJ), comparou os senadores Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) a "símbolos de um comportamento que a sociedade não quer mais e que tem que ser ultrapassados". Depois de subir à tribuna para acusar a imprensa de cobrar uma "caça às bruxas" no Congresso, Saturnino, em discurso que fez hoje no encontro regional do PSB, na cidade de Pirenópolis, em Goiás, reconheceu que a população cobra a perda de mandato de ACM e de Arruda."A cobrança da população para a mudança de métodos é muito grande, daí a cobrança para a perda de mandato", justificou Saturnino. O senador considera a crise política atual como uma possibilidade de avanço na democracia. Segundo ele, há algum tempo seria impensável que dois senadores fossem levados a uma acareação "que envolve uma dose de humilhação muito grande", a darem explicações e ocultarem fatos sobre o seu comportamento.Na análise do relator, é preciso haver uma mudança de atitude na classe política porque a população não quer ver mais seus representantes com "comportamento clássico de esperteza, jogo de cintura, conchavos subterrâneos e distanciamento do eleitorado".O senador tentou evitar comentários sobre a crise política que envolve a violação do painel durante o encontro de militantes do PSB, mas o assunto acabou dominando os discursos. O governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, disse no encontro que essa "catarse" precisa continuar no Senado, nos governos estaduais e na República. Ele aproveitou a oportunidade para alfinetar adversários do PMDB: "no Senado existem mais senadores corruptos. Aqui de Goiás inclusive".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.