Relator da Reforma Política recua de proposta de mandato de 10 anos para senador

Com a decisão, volta a proposta original da comissão de cinco anos de mandato para todos os parlamentares eletivos

Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

15 de maio de 2015 | 17h31

Brasília - O deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), relator da Comissão Especial da Reforma Política, decidiu voltar atrás da decisão de incluir em seu parecer o mandato de 10 anos para senadores. Com a decisão, volta a proposta original da comissão de cinco anos de mandato para todos os parlamentares eletivos. Atualmente, senadores são eleitos para cumprir um mandato de oito anos.

Originalmente, o peemedebista tinha proposto mandato de cinco anos para senadores, mas mudou de ideia ao ouvir de colegas que a reforma política poderia sofrer resistência no Senado. O deputado contou que alguns parlamentares disseram que sua postura "intransigente" não contribuía para a reforma. "Achei que poderia ceder neste ponto. E errei", concluiu.

Menos de 24 horas após propor mandato de 10 anos para senadores, Castro revelou que sofreu inúmeras críticas e nenhuma manifestação de apoio. Os membros da Comissão Especial o recriminaram por mudar o texto que já tinha apoio entre os deputados. "O mundo todo ficou contra mim. Por que vou insistir em uma coisa que acho que está errada?", justificou.

O relatório de Marcelo Castro deve ser votado na próxima terça-feira, 19.

Tudo o que sabemos sobre:
reforma politicaMarcelo CastroSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.