Relator da CPI dos Cartões não aprovará quebra de sigilo

Luiz Sérgio diz que aguardará 'debates mais aprofundados'', como definição do 'tripé da segurança nacional'

Cida Fontes, de O Estado de S.Paulo

25 de março de 2008 | 17h57

O relator da CPI Mista dos cartões, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), disse nesta terça-feira, 25,  que se depender dele os requerimentos sobre abertura de dados sigilosos ficarão suspensos, aguardando debates mais aprofundados sobre o tema. Um desses debates, segundo ele, é definir se a Presidência da República, a Polícia Federal e a ABIN formam um tripé em que se baseia a segurança nacional.  Veja também: ENQUETE: A CPI dos Cartões deve quebrar sigilo de Lula e FHC?Entenda a crise dos cartões corporativos  Governo tenta evitar quebra de sigilo na CPI dos CartõesSem quebra de sigilo, Marisa Serrano ameaça deixar CPIPara ministro, crise dos cartões é 'escandalização do nada' "Vamos fazer esse debate", prometeu, assinalando que antes da CPI deliberar sobre os requerimentos de quebra de sigilo é preciso ouvir depoimentos como o do ministro-chefe do gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Felix, previsto na pauta da CPI.  O líder do PSDB no Senado, Artur Virgílio (AM), afirmou que lerá nesta terça no plenário carta do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso autorizando a abertura das contas do cartão corporativo dele e de sua mulher, Ruth Cardoso, e das chamadas contas B de sua gestão. A carta é uma resposta a pedido feito por Virgílio ao ex-presidente, também por escrito.O líder do PSDB quer votar nesta quarta a convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para falar sobre o dossiê sobre gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, divulgado pela revista Veja. Virgílio disse que vai pedir à CPI informações sobre os gastos do ex-presidente e de Ruth Cardoso, e do atual presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, e da primeira-dama, Marisa Letícia. O pedido vai incluir também os gastos do ex-vice-presidente Marco Maciel e do da esposa de Lula e do vice atual, José Alencar, e de sua mulher, Marisa. Permanência  Nesta terça, o PSDB decidiu,  em reunião de lideranças da Câmara e do Senado, que vai continuar na CPI  e insistir na quebra de sigilo dos cartões da presidência da República. A presidente da CPI, Marisa Serrano (PSDB-MS), disse que colocará em votação na quarta todos os requerimentos de quebra de sigilo.    

Tudo o que sabemos sobre:
CPI dos cartõescartões corporativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.