Relator da CPI dos Bingos minimiza denúncias de cozinheira

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), disse que as denúncias apresentadas hoje pela cozinheira Zildete Reis precisam ser comprovadas. Ela trabalhou para o acusado de comandar o crime organizado no Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro, o "Comendador Arcanjo". Nesse período, segundo ela, teria visto diversas autoridades em festas na casa de Arcanjo como o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto. "Temos que ter a certeza que essa mulher não ia se expor ao Brasil inteiro se não viesse para contar a verdade. Não tenho a menor dúvida, se tratou de um depoimento verdadeiro", disse o senador. Contudo, para o relator da CPI, é preciso cautela na hora de analisar as informações dadas por Zildete no depoimento. "As palavras dela precisam ser comprovadas. Acho que precisaria haver uma investigação para a comprovação disso que ela falou."O relator disse ainda que uma possível acareação "poderia ser vista como tentativa de sensacionalismo" por parte da CPI. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse que na próxima terça-feira vai apresentar à CPI um requerimento para acareação de Zildete com Dirceu, Palocci e Okamotto. Outra possibilidade, segundo Garibaldi, também pode ser o pedido para o Ministério Público prosseguir nas investigações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.