Geraldo Magela/Ag. Senado - 28.06.2012
Geraldo Magela/Ag. Senado - 28.06.2012

Relator da CPI do Cachoeira nega direcionar investigação

Deputado Odair Cunha (PT-MG) rebate críticas de que convocações e condução da comissão tenha como alvo o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB)

Ricardo Brito e Lilian Venturini - atualizado às 12h45

03 de julho de 2012 | 11h56

BRASÍLIA - Com a ausência das quatro testemunhas previstas para prestar esclarecimentos à CPI do Cachoeira, parte da curta sessão sesta terça-feira, 3, foi usada para a discussão de que a comissão estaria direcionando os trabalhos para atingir o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). O relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG) rebateu as acusações.

"Todas as pessoas que convocamos ou convidamos foram, de alguma forma, interceptadas ou citadas pela Polícia Federal. Infelizmente, elas têm a ver com o governo de Goiás. Por isso estamos chamando e vamos chamar outras tantas", afirmou o deputado. O governador já prestou esclarecimentos e negou envolvimento com o grupo de Cachoeira. Em entrevista ao Estado, Perillo chamou Odair Cunha de "jagunço a serviço de terceiros".

O relator da CPI rebateu também a acusação feita pelo líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), de que estaria sonegando informações que chegam à comissão parlamentar. Bueno disse ainda que os servidores requisitados pelos órgãos "estão trabalhando exclusivamente" para o relator. Odair Cunha afirmou que o parlamentar não tem como provar sua colocação. Segundo ele, todos os pedidos são atendidos. "Toda equipe que está trabalhando na relatoria está trabalhando à disposição da comissão", disse. E questionou: "Qual pergunta, qual dúvida, qual cruzamento que algum parlamentar da CPMI fez que eu não tenha encaminhado à nossa assessoria?". O relator se comprometeu a designar uma pessoa da assessoria técnica da comissão para receber demandas de um representante de cada parlamentar.

Sub-relatoria. O líder do PPS e o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) questionaram o fato de a comissão parlamentar não ter votado requerimentos que pedem a criação de sub-relatorias da CPI. "Não é verdade que toda comissão parlamentar tem sub-relatoria", afirmou Cunha, dizendo que não foi este o entendimento da CPI e do relator.

Sampaio e Bueno criticaram novamente. "A questão da sub-relatoria não foi votada", lembrou o líder do PPS. O vice-presidente da CPI, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), disse que o pedido será apreciado na próxima reunião administrativa da comissão, marcada para esta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.