Beto Barata/Estadão
Beto Barata/Estadão

Relator da CPI da Petrobrás diz que recebeu doações legais da UTC

Luiz Sérgio afirmou não ter ficado constrangido por ter sido mencionado pelo dono da empreiteira Ricardo Pessoa, delator da Operação Lava Jato

Daiene Cardoso , O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2015 | 11h49

BRASÍLIA - O relator da CPI da Petrobrás, Luiz Sérgio (PT-RJ), disse nesta terça-feira, 30, que não recebeu doações ilegais do empresário Ricardo Pessoa, da UTC, e que não se sente constrangido por ter sido mencionado pelo delator da Operação Lava Jato. "O que recebi das empresas, recebi legalmente", declarou.

Segundo o jornal "Folha de S.Paulo", o dono do grupo UTC informou na delação premiada que doou R$ 200 mil para o petista para evitar greves na obra da usina nuclear de Angra 3. Pessoa teria dito que seu objetivo era ter acesso a congressistas ligados a movimentos sindicais. "Se foi isso (doar para evitar greve), ele não teve êxito nenhum. A construção de Angra 3 teve mais de duas greves", respondeu o relator.

Luiz Sérgio disse que ficou lisonjeado por ser classificado pelo empreiteiro como um importante interlocutor social. O petista disse que conhecia o empresário porque eles tinham escritório no mesmo prédio. "Ele nunca me pediu nada. E o que mais teve lá (em Angra dos Reis) foi greve", enfatizou. 

Oitivas. Nessa segunda, a defesa de Pessoa informou à CPI que o empresário ainda não pode falar à comissão porque o conteúdo da delação premiada não foi publicizado. O presidente da CPI, Hugo Motta (PMDB-PB), queria marcar sua oitiva para esta semana e, por isso, solicitou informações ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a alegação da defesa. "Estamos tardando (para marcar a oitiva) para que ele não tenha o direito de optar pelo silêncio", justificou Motta.

Nessa terça, a CPI da Petrobrás retoma sua agenda de atividades após uma semana de paralisação em virtude das festas juninas no Nordeste. Serão ouvidos em instantes Pedro Aramis de Lima Arruda (ex-gerente de Segurança Empresarial da Petrobras), Paulo Teixeira Brandão (presidente da Federação Nacional das Associações de Aposentados, Pensionistas e Anistiados do Sistema Petrobrás) e de Fernando Leite Siqueira (vice-Presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobrás). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.