Relator Barbosa acusa Lewandowski de 'deslealdade'

O ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão do Supremo Tribunal Federal (STF), acusou o colega Ricardo Lewandowski de ter se posicionado apenas agora favorável ao desmembramento da ação penal. Lewandowski é o ministro revisor do processo e tem por prerrogativa avaliar se os atos tomados durante toda a instrução foram corretas.

RICARDO BRITO, Agência Estado

02 de agosto de 2012 | 15h25

Barbosa deu voto contrário ao pedido feito antes pelo advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. O defensor disse que, dos 38 réus, apenas três têm prerrogativa de foro: os deputados federais João Paulo Cunha (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).

"Nós precisamos ter rigor no fazer das coisas aqui no País", criticou inicialmente o relator do processo o questionamento feito por Bastos. "Eu não vejo razão, me parece até irresponsável voltar a discutir esta questão", afirmou.

Em seguida, contudo, Lewandowski anunciou que ia votar a favor da tese de Bastos, que defende o ex-dirigente do Banco Rural José Roberto Salgado. Barbosa questionou o colega de Corte. "Me parece deslealdade", afirmou, argumentando que ele poderia ter levado este pedido para análise do tribunal antes do julgamento final. "Me parece uma expressão meio forte e já está prenunciando que este julgamento será tumultuado", rebateu Lewandowski, que saiu em defesa do direito de Bastos de fazer o questionamento.

No momento, Lewandowski está lendo seu voto favorável ao desmembramento. O ministro revisor tem sustentado que o Supremo tem "sistematicamente" decidido em favor de desmembrar processos. Logo em seguida, os demais ministros da Corte vão deliberar sobre o pedido.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamentoBarbosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.