Relação com PMDB está ''''redonda'''', diz Wagner

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), disse ontem que a relação do governo com o PMDB não será afetada por eventual cassação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). "A relação com o PMDB nunca esteve tão redonda", disse Wagner, após almoço em Washington. O governador da Bahia está na capital americana para assinar empréstimo de US$ 100 milhões do Banco Mundial para recuperação de estradas no Estado.Para Wagner, o resultado da votação de amanhã é "imponderável". "Trata-se de julgamento político e votação secreta. O que conta é o convencimento político individual de cada senador e não a comprovação efetiva do delito."O governador disse que se tornou cotado à candidatura à presidência em razão de uma "mística de bom de voto", mas ressaltou que ainda é cedo para discutir possíveis candidatos.. "Meu nome é citado pelo ineditismo que foi a eleição passada, mas eu tenho consciência de que eu sou o que eu for como governador", disse. "Ninguém achava que eu ia ganhar a eleição, então vira uma mística: ?O cara é bom de voto?."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.