Reitoria da USP oferece 91 professores à FFLCH

A reitoria da Universidade de São Paulo (USP) ofereceu 91 professores para a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) no intuito de tentar acabar com a greve de alunos na unidade, que completou dois meses. A proposta foi feita na última reunião da comissão composta por representantes da reitoria, dos professores e dos alunos. "Isso é o máximo que podemos oferecer e agora esperamos que a oferta seja aceita", disse o pró-reitor de pesquisa, Luiz Nunes, que participou da reunião. "É ainda insuficiente para a faculdade ficar a pleno vapor", rebateu o estudante da FFLCH, Antônio David. A proposta ainda será submetida a uma assembléia de alunos, e só depois dela a USP saberá se a sua maior unidade continuará sem aulas.Já os professores da unidade viram a proposta com bons olhos. "É algo inédito, nunca houve uma alocação de professores desse porte", disse o diretor da FFLCH, Francis Aubert. Segundo a reitoria, 45 docentes serão concedidos ainda este ano e os outros 46, até 2004. A oferta ficou próxima do que pedia a direção da unidade, ou seja, 115 professores em três anos. Já os alunos grevistas queriam a contratação de 259 docentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.