Reitor da USP vai negociar greve com alunos

A reunião de negociação da greve na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo, que deveria ter sido nesta quinta-feira, foi adiada para segunda-feira. O motivo foi um pedido do reitor da USP, Adolpho José Melfi, que voltará de férias e pretende participar da reunião. Esta é a primeira vez que Melfi tratará diretamente do problema com alunos da unidade, que estão em greve desde 2 de maio. Até então, as reuniões estavam sendo feitas com o pró-reitor de pesquisa da USP, Luiz Nunes. O reitor chamou também para a negociação o diretor eleito da FFLCH, Sedi Hirano. Ele deve tomar posse apenas em 12 de agosto. A proposta da reitoria para acabar com a greve foi a oferta de 91 novos professores para a unidade. Os estudantes pedem 259 contratações.

Agencia Estado,

25 Julho 2002 | 22h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.