Reichstul deixará Petrobras por pressão familiar, diz nota

A Petrobras acaba de divulgar nota oficial sobre o afastamento do presidente Henri Philippe Reichstul. A íntegra da nota é a seguinte: "O presidente da Petrobras, Philippe Reichstul, pediu, há cerca de quatro meses, demissão ao presidente Fernando Henrique Cardoso. Não tinha pressa, mas estava ficando difícil não ceder às pressões da família para que voltasse a viver em São Paulo. O presidente da República pediu-lhe, então, para esperar até o final do ano, o tempo que considerou necessário para encontrar um sucessor. Não procedem, portanto, as informações de que Philippe Reichstul está se afastando por razões de saúde. Ele retirou, de fato, no início da semana passada, nódulos alojados na glândula tireóide. Eram benignos. Teve alta, passa bem e voltou ao trabalho na tarde de hoje.O economista Philippe Reichstul, 52 anos de idade, assumiu a presidência da Petrobras em 24 de março de 1999. Ao longo dos dois anos e oito meses em que esteve à frente dela transformou a maior companhia brasileira em empresa de energia e promoveu importantes reformas: entre outras realizações, modernizou os processos contábeis, pulverizou a base de acionistas, colocou os papéis da companhia na Bolsa de Nova York, acelerou a internacionalização da empresa, reorganizou os processos administrativos e lançou o mais ambicioso programa ambiental de uma empresa brasileira em todos os tempos. Philippe Reichstul permanecerá na presidência da Petrobras até o próximo dia 21 de dezembro. Assessoria de Imprensa 05 de dezembro de 2001"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.