Regina recebeu ordem de Arruda para violar painel

O marido da ex-diretora do Prodasen, Regina Célia Borges, Ivar Ferreira, confirmou no início da tarde de hoje, em depoimento ao corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma, que foi mesmo no dia 27 de junho do ano passado o encontro entre sua mulher e o senador José Roberto Arruda (PSDB-DF). Ao dar a informação, Tuma disse que Ivar Ferreira contou que Arruda deu uma ordem a Regina para que o painel fosse violado. Segundo Tuma, Ivar esclareceu que o questionamento de Arruda não foi apenas uma pergunta sobre a possibilidade de violação do painel de votação do Senado.Tuma disse que a confissão de Arruda em nada alivia a situação dos funcionários, mas admitiu a hipótese de eles terem sido coagidos. O corregedor informou ainda que pediu à Polícia Federal a indicação de especialistas em computação para analisar o disquete em que foi gravada a lista de votação, posteriormente apagado.O delegado aposentado da Polícia Federal, Paulo Lacerda, que atualmente trabalha no gabinete de Tuma, foi ao Prodasen acompanhado de Ivar Ferreira para buscar e lacrar uma caixa com disquetes. Dentro desta caixa estaria, segundo o depoimento de Ivar Ferreira, o disquete que foi usado para copiar a lista de votos na sessão que determinou a cassação do ex-senador Luiz Estevão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.