Regina e Arruda confirmam versões

Respondendo a perguntas do senador Saturnino Braga (PSB-RJ), relator da Comissão de Ética, a funcionária Regina Borges confirmou que recebeu uma ordem para proceder a violação do painel eletrônico do Senado. Já o senador José Roberto Arruda (sem partido-DF) manteve sua versão de que o que fez a Regina foi uma ?consulta?, e não um pedido ou uma ordem, e que agiu sob orientação do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). Braga disse ter dificuldade em aceitar a versão de Arruda - já que, se o senador do DF havia feito uma ?consulta?, ele deveria ter esperado, ou cobrado, uma resposta anterior à votação, o que não ocorreu. Ao explicar a contradição entre seu depoimento e o de Regina, Arruda citou o depoimento da funcionária: ?Encarei como uma ordem?, ela teria dito. De acordo com o senador Arruda, o ?encarei? revela a subjetividade da atitude da funcionária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.