Reformas por si só não resolvem, diz presidente da Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha, afirmou hoje que as reformas por si só não resolverão os problemas previdenciários e tributários do País. Ele destacou que é um ?fetiche? achar que elas causariam uma revolução. "O que pretendemos é situar o tamanho da realidade. A mudança será lenta e gradual. No Congresso, podemos protocolar a reforma ideal, mas o que sai é a reforma possível", acrescentou. João Paulo disse também que o governo pretende aprovar, até agosto, todas as mudanças constitucionais. Segundo ele, o governo tem maioria no Congresso Nacional para a aprovação das reformas, e prova disso foi a aprovação da PEC que altera o artigo 192, sobre o sistema financeiro. "Essa maioria que mudou o artigo 192 será a maioria que sustentará as reformas ", disse. Para João Paulo, primeiro devem ser aprovados os pontos de consenso tanto na reforma tributária quanto previdenciária e depois devem ser discutidas as questões polêmicas. O presidente da Câmara dos Deputados participou de seminário na Câmara Americana de Comércio em São Paulo. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.