Reformas podem ser aprovadas em 1º turno até julho, diz líder

O plenário da Câmara poderá aprovar, em primeiro turno, as reformas da Previdência e do sistema tributário no dia 23 de julho, segundo cronograma divulgado pelo líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP). A expectativa está baseada estritamente nos prazos regimentais de tramitação de emendas constitucionais, não considerando os atrasos costumeiros. O calendário pretendido pelo governo confirma também que o Congresso precisará trabalhar durante o recesso parlamentar de julho para agilizar as votações como pretende o governo. Como prova de que as reformas são "prioridade número um" do governo, Aldo Rebelo estará envolvido, nos próximos três dias, na elaboração de um plano de ação que envolverá os partidos da base governista. Na segunda-feira, ele se reunirá com os cinco vice-líderes do governo e, na terça-feira, com os líderes da base governista.Ainda na terça-feira, o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), entregará pessoalmente as duas propostas de emendas constitucionais do governo à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), encarregada de discutir e votar a admissibilidade. Ou seja, essa comissão vai concluir se as medidas violam ou não a Constituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.