'Reforma tributária é assunto do País', diz José Serra

Governador diz que é preciso aguardar a publicação da proposta do governo para avaliar as perspectivas

AMANDA VALERI, Agencia Estado

27 de fevereiro de 2008 | 17h02

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou nesta quarta-feira, 27,  esperar que o governo federal esteja realmente empenhado na reforma tributária e afirmou que o tema transcende a órbita de interesse do poder central. "Eu acho que a gente deve encarar não como um assunto do governo, mas como um assunto do País ", disse Serra, durante o lançamento do Programa de Estágios do Estado de São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes.  Veja Também:  Veja os principais pontos da reforma tributáriaReforma tributária precisa de agilidade, dizem empresários O governador disse que é preciso aguardar a publicação da proposta do governo para avaliar as perspectivas da reforma. "Como eu tenho dito sempre, as vezes o diabo reside nos detalhes." Serra confirmou que já conversou com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, mas admitiu que não sabe a "forma final" do projeto da reforma tributária.Questionado sobre um possível convite para debater o assunto, Serra afirmou: "Sem dúvida nenhuma eu aceitarei". Sobre a unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), o governador se colocou favorável, mas disse que os termos precisam ser analisados.  Agilidade A proposta de reforma tributária está no rumo certo, mas deveria ser aplicada de forma mais rápida e mais profunda. Essa foi a avaliação dos empresários, em reunião nesta quarta-feira, 27, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro, disse que a proposta é "o triunfo da idéia de se buscar o sistema tributário, harmonizado com o padrão internacional".  Porém, ele lamentou que o sistema proposto pelo governo mantenha três sistemas de tributação sobre o valor agregado: o IVA federal, o ICMS e o IPI. Para o presidente da CNI, a desoneração dos investimentos deveria ser mais rápida.

Tudo o que sabemos sobre:
Reforma tributária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.