Reforma política não deve opor Câmara e Senado, diz Renan

Senadores tanto da base quanto da oposição têm feito críticas ao pacote de reforma promovido pelos deputados

Isadora Peron e Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2015 | 14h17

Brasília - Apesar de admitir que os senadores precisam avançar na reforma política aprovada pela Câmara, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta quarta-feira que está trabalhando para que esse tema não coloque uma Casa contra a outra. "O esforço que estamos fazendo é para que, em nenhuma hipótese, seja uma reforma de uma Casa contra outra. Para que ela possa ser chamada de reforma, ela precisa caminhar nas duas Casas", afirmou.

Na terça-feira, 23, foi instalada uma comissão especial no Senado para discutir o tema. À noite, um grupo de senadores se reuniu com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, e os ministros Gilmar Mendes e Luiz Fux. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também participou do encontro.

Renan disse que convidar Cunha para ir à reunião foi uma demonstração de que os senadores estão dispostos a discutir o assunto em conjunto. "Como o Senado é uma Casa complementar em relação à Câmara, e vice-versa, cabe ao Senado, neste momento, avançar, aprofundar a reforma política", disse.

Senadores tanto da base quanto da oposição têm feito críticas ao pacote de reforma promovido pela Câmara. Para a maioria deles, as propostas aprovadas não alteraram o sistema político-eleitoral de maneira profunda.

Um dos temas que o Senado quer discutir novamente é o fim das coligações proporcionais, que não foi aprovado pela Câmara. Durante o jantar de ontem, os senadores receberam sinalizações dos ministros do TSE de que poderiam reeditar a medida através de um projeto de lei ordinário e não uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), como foi feito anteriormente. "Isso vai recriar a oportunidade para que nós possamos votar novamente e a Câmara votar novamente", disse Renan.

Nesta quarta, Renan e um grupo de senadores se reúne com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, para discutir temas referentes à reforma. 

Tudo o que sabemos sobre:
reforma políticarenan calheiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.