Reforma ministerial terá influência das eleições, diz Mercadante

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) afirmou que a reforma ministerial a ser realizada pelo governo federal nos próximos meses deverá receber influência do resultado das eleições municipais no segundo turno, que estão ocorrendo hoje. "É um dos fatores importantes que influenciam, pois trata-se também de um balanço político".Mostrando-se confiante com a vitória da prefeita de São Paulo e candidata do PT à reeleição, Marta Suplicy, o senador ressaltou que o governo saiu fortalecido das urnas, embora reconheça que a escolha dos prefeitos das principais capitais do País esteja ocorrendo de forma heterogênea. "O PT recebeu 16,5 milhões de votos no primeiro turno e ganhou em seis capitais. Não há dúvida que foi o partido mais votado do País, um reflexo da ótima administração do presidente Lula." Ele não quis comentar sobre a possibilidade de ele ser ministro do Governo.Candidato forte do partido para disputar as eleições ao governo de São Paulo, em 2006, Mercadante pregou um "pacto de unidade" para a escolha do representante à sucessão do governador Geraldo Alckmin. "O importante é a soma de nossas forças. O povo de São Paulo reconhece que há uma fadiga de material do PSDB que está há 10 anos no poder e pouco fez no Estado".Mercadante está confiante que a Justiça Eleitoral vai rever a decisão do TSE que cassou a candidatura de Márcio Chaves, candidato petista à Prefeitura de Mauá. Chaves, atual vice-prefeito, foi cassado porque o TSE considerou propaganda institucional proibida uma exposição da Prefeitura, realizada em maio, sobre os 50 anos da cidade de Mauá. No primeiro turno, Márcio Chaves obteve 46,77% dos votos. Leonel Damo (PV) conquistou 39,63% e foi declarado prefeito do município na sexta-feira. "É uma situação que esperamos que seja revista. O partido impetrará recursos para reverter esse quadro."O senador Aloizio Mercadante participou hoje, com outras lideranças do partido, do café da manhã oferecido pela prefeita Marta Suplicy. Às 11 horas, Mercadante votou na Escola Maria Clara, na Vila Madalena, e, depois, se dirigiu para sua casa, no Alto de Pinheiros. Mercadante almoça com sua família e, por volta das 14h30, irá para o diretório nacional do partido, onde ficará até o início da noite. De lá, Mercadante disse que deverá visitar Marta Suplicy e espera cumprimentá-la pela vitória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.