Reforma manterá integralidade e paridade para atuais servidores

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha, afirmou após a reunião com os governadores na Casa Civil da Presidência da República, que a reforma da Previdência manterá a integralidade e a paridade (extensão para os inativos dos reajustes concedidos aos servidores da ativa) para os servidores atuais. Segundo ele, alguns governadores pediram tempo para consultar os demais governadores. João Paulo confirmou que a leitura do relatório do deputado José Pimentel foi adiada para a quinta-feira, às 11 horas. Com o adiamento, o calendário das reformas ficou o seguinte: na reforma da Previdência a leitura do relatório será na próxima quinta-feira e os debates na comissão especial estão marcados para os dias 23, 24 e 25. No dia 29 de julho será iniciada a votação da proposta na comissão especial. De acordo com o presidente da Câmara, a votação na comissão deverá levar uma semana. Quanto à reforma tributária, o relatório definitivo deverá ser apresentado pelo deputado Virgílio Guimarães (PT-MG) no dia 23, quarta-feira , e as discussões na comissão especial deverão começar no dia 29, prosseguindo nos dias 30 e 31. A votação na comissão especial da reforma tributária começa na primeira semana de agosto segundo o novo calendário da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.