Reforma de forte onde presidente passou férias custará R$ 539 mil

Uma obra é prioridade no Exército. O governo estimou despesa de R$ 539 mil para melhorar, até o final do ano, quando começa o verão, as dependências usadas por hóspedes do Forte dos Andradas, base militar no Guarujá (SP) onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a família passaram férias em janeiro.A melhoria na base inclui a construção de um quiosque, uma piscina e melhoria nas suítes do Hotel de Trânsito dos oficiais. O imóvel onde está o Grupo de Operações será transformado na suíte presidencial, que custará R$ 80 mil. É o necessário para a construção de um banheiro e a melhoria do quarto.O edital do Exército, que tem o controle da base, estabelece que as obras da suíte devem ser concluídas em 120 dias após a escolha da empresa. Até a segunda quinzena de dezembro, o forte deve estar reformado. Por meio da assessoria, o Ministério da Defesa destacou que as obras atenderão a todos os hóspedes do Hotel de Trânsito, como oficiais das Forças - o que não se constituiria numa obra voltada para o conforto do presidente da República. Assessores da Presidência ressaltam que, hoje, não há nenhuma previsão de Lula de passar novas férias no Guarujá.Oito empresas participaram da licitação. A vencedora se propôs a fazer as obras das dependências por R$ 539 mil. "Deste valor, cerca de 60% estão destinados à construção da piscina, deck, vestiário e quiosque, que atendem ao Hotel de Trânsito como um todo", destaca o Exército. Outros 25% têm como fim a reforma do hotel propriamente dito, incluída troca da cobertura. O restante será gasto na adequação do antigo Grupo de Operações, instalação que se encontrava desativada, para a suíte destinada a visitantes ilustres, que consistirá em uma ante-sala, suíte e banheiro.Desde que assumiu o governo, Lula e a família passaram férias na base da Restinga da Marambaia (RJ), na base de Aratu (BA) e no Forte dos Andradas (onde ficou dez dias). Lula não conseguiu escapar das câmeras durante o descanso em Marambaia e Aratu. Já no Forte dos Andradas, os cinegrafistas e fotógrafos não fizeram imagens, pois as condições do local dificultam a aproximação. O forte está numa área de mata atlântica, na praia do Guaiúba. Projetado em 1934 e concluído durante a Segunda Guerra, é o último edificado no País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.