Reeleição em Taubaté marca nova fase política

Peixoto rompe dinastia de 21 anos da família de Bernardo Ortiz

Simone Menocchi, TAUBATÉ, O Estadao de S.Paulo

06 de outubro de 2008 | 00h00

A reeleição do prefeito Roberto Peixoto, candidato do PMDB com apoio do PT, em Taubaté, segundo maior colégio eleitoral do Vale do Paraíba, marca uma nova época na política da cidade. A disputa foi decidida voto a voto até os últimos minutos. Peixoto rompeu uma dinastia de 21 anos da família de Bernardo Ortiz (PSDB), que foi o candidato a vice na chapa do seu filho, o também tucano Ortiz Júnior. Para o prefeito, a vitória teve sabor especial - ele é desafeto político de Bernardo OrtizCom a apuração praticamente concluída (99,56% do total), Peixoto assegurava a vitória com 33,49% dos votos. Em segundo vinha o candidato do PV, Padre Afonso Lobato, com 32,14%. Considerado um mito da política local e regional, Bernardo Ortiz ficou fora da disputa - Ortiz Júnior tinha recebido 30,97% , ou 1.751 votos a menos do que Padre Afonso. O candidato do PSOL, Fernando Borges, estava em quarto lugar, com pouco mais de 4.300 votos.A disputa entre os três candidatos foi acirrada, com diferença máxima de 0,6% entre eles.O desempenho do atual prefeito demonstra a mudança do perfil do eleitorado. Bernardo Ortiz governou a cidade pela primeira em 1986 e voltou ao cargo outras duas vezes, além de eleger seus três sucessores. Entre eles, o próprio Roberto Peixoto. "Eu vou continuar prefeito dessa cidade e estou muito feliz por isso", disse Peixoto. Na avaliação do cientista político Maurício Cardoso do Rego, da Universidade de Taubaté, isso demonstra que a cidade deixou de ter um perfil provinciano e de "coronelismo" . "Ficou bem claro a existência de três lideranças, uma carismática, outra política e outra religiosa com apelo político. Os resultados indicam que há uma evolução à medida que a cidade se expande economicamente, formando novos líderes e deixando grupos arcaicos de lado", afirmou Cardoso do Rego. INFLUÊNCIAEm Jacareí, o candidato do PT, Hamilton Ribeiro, conseguiu virar o quadro das pesquisas e saiu à frente do favorito, Maurício Haka, do DEM. O candidato contou com a força do depoimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, considerado fundamental pela militância. Somente em São José dos Campos que o presidente não conseguiu mudar o rumo da eleição, ainda que tenha discursado em favor do deputado estadual Carlinhos de Almeida, que ficou atrás do candidato tucano reeleito, Eduardo Cury (PSDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.