Redutor de futuras pensões pode ser de até 70%

Apesar de o relator José Pimentel ter afirmado no plenário que as futuras pensões de servidores seriam equivalente ao teto básico de R$ 1,058 mil mais 50% da diferença entre o teto e o benefício do aposentado, o texto trará uma nova fórmula. A informação é de deputados que saíram da reunião que está sendo realizada no gabinete do presidente da Câmara, João Paulo Cunha, com o relator e líderes governistas. O deputado Maurício Rands (PT-PE) afirmou que garantido o teto de R$ 1,058 mil, a diferença a ser incorporada poderá ser de até 70%. Segundo Rands uma lei ordinária a ser enviada futuramente ao Congresso vai definir esse porcentual. Segundo ele, cada Estado poderá fazer sua lei, ou poderá ainda haver uma lei que sirva para todos os servidores brasileiros. Rands disse que a definição desse porcentual poderá levar em conta a expectativa de vida do pensionista, o número de dependentes, e o tempo de contribuição do aposentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.