Recursos do PAC não precisam de intermediários, diz Lula

Presidente comenta as ações da Polícia Federal para identificar desvios dos recursos desse programa

Elizabeth Lopes, da AE

24 de junho de 2008 | 14h13

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira, 24, que os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não precisam de intermediários para chegar aos municípios e Estados que realizam essas obras. Em rápida entrevista coletiva concedida nesta manhã na Capital, o presidente comentou as ações da Polícia Federal para identificar desvios dos recursos desse programa, destacando que "o PAC está sofrendo investigação por parte do próprio governo". E reiterou: "É sinal de que queremos que cada real que o governo transfere para o município ou Estado seja aplicado na obra que foi contratada e que não precisa de intermediário."  Veja Também:  Autores de fraudes no PAC vão para o 'inferno', diz BernardoMinistro das Cidades diz desconhecer fraudes em obras do PAC Na semana passada, a Polícia Federal desbaratou um esquema de desvio de verbas do PAC em contratos estimados em R$ 700 milhões. A operação, batizada de João de Barro, investiga a participação de empresários, lobistas, servidores e políticos nesse esquema de desvio de recursos do PAC destinados a obras de saneamento e construção de casas populares. De acordo com a PF, mais R$ 2 bilhões, em recursos provenientes de emendas parlamentares e financiamentos da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), estariam na mira do grupo.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação João de Barro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.