Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Recurso de Dilma sobre prazo do impeachment ainda aguarda análise de Lewandowski

Apesar do recuo do Senado, José Eduardo Cardozo, ex-advogado-geral da União, quer que o ministro admita um período de 20 dias para o cumprimento da última fase do processo; presidente do STF deve decidir ainda nesta segunda, 6

Gustavo Aguiar, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2016 | 18h48

BRASÍLIA - O recuo da comissão especial do impeachment no Senado, que manteve em 15 dias o prazo para as alegações finais da presidente afastada Dilma Rousseff, não anula o efeito do recurso enviado pela defesa da petista ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.

O ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, quer que o ministro admita um período ainda maior, de 20 dias, para o cumprimento da última fase de instrução do processo. Lewandowski deve concluir a análise sobre o caso ainda nesta segunda-feira, 6.

O recuo do Senado atrapalha a estratégia do presidente em exercício Michel Temer, que busca acelerar o processo para reduzir o desgaste já provocado pela Lava Jato em seu governo após a queda de dois ministros implicados na delação do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

A pós o afastamento do senador Romero Jucá (PMDB-RR) do ministério do Planejamento, e do ex-conselheiro do Conselho Nacional de Justiça, Fabiano Silveira, da pasta da Transparência, está na mira da Procuradoria-Geral da República (PGR) o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.