Recife se prepara para ato do MST na terça

A Polícia Federal está elaborando um esquema de segurança especial para acompanhar o encerramento da Marcha Nacional pela Reforma Agrária nesta terça-feira, quando o Movimento dos Sem-Terra lidera passeata e ato público no Recife. Mais de mil sem-terra participam da marcha, iniciada no Estado no dia 10, em Aliança, a 86 quilômetros da capital, depois de terem ateado fogo e depredado imóveis da Usina Aliança. Ontem eles passaram o dia descansando em Carpina, na zona da mata, e hoje retomam a caminhada.A PF quer prevenir eventuais invasões, saques ou depredações, tendo se reunido, nesta semana, com representantes do Incra, Correios, Tribunal Regional Federal (TRF) e Ministério da Fazenda, que se encontram em estado de alerta. No início do ano, os sem-terra queimaram formulários de cadastramento para reforma agrária na sede dos Correios e, no ano passado, ocuparam a Receita Federal e a Delegacia Regional da Agricultura, quebrando vidraças em manifestações de protesto contra a política do Governo Federal para a reforma agrária.O superintendente da PF em Pernambuco, Zulmar Pimentel, enviou ofício às polícias Militar e Civil pedindo apoio em caso de tumulto. A Polícia Militar vai elaborar o esquema de policiamento da cidade do Recife na segunda-feira.O superintendente regional do Incra, Geraldo Eugênio, convocou uma reunião com as lideranças do MST, que se realiza hoje de manhã. O objetivo é evitar incidentes e discutir antecipadamente a pauta de reivindicações do movimento que deverá ser entregue durante a marcha. De acordo com Geraldo Eugênio, o encontro poderá facilitar o diálogo. "Pretendemos saber o que o MST quer e expor o que o Incra pode oferecer", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.