Receita vai vasculhar movimentação de Garotinho

A fiscalização que a Receita Federal começará a fazer nas contas do governador do Rio, Anthony Garotinho (PSB), não ficará restrita às atividades empresariais. Os fiscais vasculharão toda a movimentação fiscal do político, como pessoa física e jurídica, nos últimos cinco anos. Entre os investigados, estarão familiares e assessores próximos a Garotinho que estejam envolvidos nas denúncias de irregularidades publicadas pelo jornal O Globo.Entre as questões que a Receita quer ver respondidas, está a origem dos recursos usados para capitalizar as empresas de Garotinho, até o valor necessário com o objetivo de obter as licenças de sorteios, e a explicação sobre a realização dessas promoções sem a autorização do Fisco. A justificativa do governador, de que a culpa, em caso de erro, deve ser atribuída ao contador Marcos de Azevedo, não serve para a Receita, uma vez que o contribuinte é o único responsável pelas informações prestadas ao Fisco.A ordem para abertura do procedimento de fiscalização foi dada e a avaliação preliminar, feita com base no que a imprensa publicou, é de que o governador não conseguirá escapar da punição, mesmo pagando o imposto devido. A lei prevê que, em autuações fiscais, o contribuinte pode encerrar o processo, pagando a dívida cobrada pelo Fisco. Mas, no caso de Garotinho, se ficarem comprovadas as acusações de suborno a fiscal da Receita, ele terá de responder criminalmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.