Receita fala em "aumento pesado de carga tributária" para compensar a CPMF

Para compensar a demora na aprovação da prorrogação da CPMF pelo Congresso "é preciso que haja um aumento pesado de carga tributária", disse hoje o secretário da Receita Federal, Everardo Maciel.Segundo ele, o governo federal ainda não definiu se elevará o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) ou se mexerá em outro imposto. "A situação é grave e, mantidas todas as regras atuais, já temos perdas contabilizadas no mínimo de R$ 1,6 bilhão e a cada semana que passa, temos que somar mais R$ 420 milhões a esse montante".Defendendo a manutenção da CPMF, o secretário é de opinião que "essa contribuição não tem expressão alguma no orçamento individual das pessoas e das empresas, ao passo que qualquer um desses outros impostos - que têm uma base mais reduzida - tem uma expressão mais forte e mais dura; é lamentável que isso esteja acontecendo".Tabela do IRSobre a correção da tabela do Imposto de Renda, o secretário disse que "ninguém percebeu que ela já ocorreu, já que não teve repercussão pessoal importante para ninguém que eu conheço". Ele afirmou esta correção "significou uma perda de arrecadação em matéria de impostos de R$ 1,7 bilhão, o que está produzindo toda dificuldade de ordem fiscal que estamos vendo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.