Receita corrige mais uma vez portaria sobre sigilo

Mudança veta o acesso a dados protegidos por servidores em cursos acadêmicos e estagiários

Rosana de Cassia e Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

11 de novembro de 2010 | 09h56

BRASÍLIA - Dias depois de alterar a portaria que regulamenta a Medida Provisória (MP) 507, que torna mais rígidas as punições contra o servidor que vazar informações sobre o sigilo fiscal, a Receita Federal publicou nesta quinta-feira, 11, nova portaria no Diário Oficial da União alterando a anterior, de 8 de novembro. Desta vez, a mudança veta o acesso a dados protegidos por parte de servidores que estejam fazendo cursos acadêmicos e por estagiários, devido à polêmica gerada pela inclusão dessas autorizações na portaria anterior.

"Queremos dar uma interpretação mais segura à portaria. A intenção é encontrar um equilíbrio entre a segurança dos dados e a eficiência do trabalho dos servidores", disse o assessor técnico do gabinete da Secretaria da Receita, João Maurício Vital, antecipando a edição da nova portaria, ontem à tarde.

Há dois dias, a explicação da Receita era de que os estagiários da área de Direito necessitavam consultar processos que eventualmente continham dados sigilosos, sendo que nenhum estudante possuía acesso ao banco de dados informatizado no órgão. Porém, a partir de agora, com a correção, essa atividade também será vetada.

Da mesma forma, a nova portaria revoga a possibilidade de servidores que desenvolvem projetos de mestrado ou doutorado acessarem dados sigilosos para pesquisa. A divulgação dessas informações já era proibida, mas a partir de agora nem mesmo o acesso será autorizado. "Se o servidor pedir afastamento para participar do curso, terá sua senha bloqueada. Se continuar trabalhando, continuará acessando somente os dados autorizados para seu perfil", explicou Vital.

Tudo o que sabemos sobre:
Receitasigiloportaria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.