Receita acusa 2 servidoras em caso de quebra de sigilo

O corregedor geral da Receita Federal, Antonio Carlos Costa d''Ávila, informou hoje que as duas representações que serão encaminhadas ao Ministério Público (MP) na próxima segunda-feira serão contra as servidoras da Receita Adeildda Ferreira Leão dos Santos e Antonia Aparecida Rodrigues dos Santos Neves Silva. A Receita Federal informou hoje que identificou um suposto esquema de compra e venda de informações fiscais envolvendo a violação do sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB.

LEANDRO COLON, Agência Estado

27 de agosto de 2010 | 12h55

Segundo d''Ávila, há indícios do envolvimento das duas servidoras e, por isso, elas serão indiciadas com base na Lei 8.112, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, autarquias e fundações públicas federais.

Adeildda e Antonia estão lotadas na delegacia da Receita Federal em Mauá, no ABC paulista, local já identificado como o de origem da violação dos dados fiscais das pessoas ligadas ao PSDB. Segundo as investigações, o computador de Adeildda foi o utilizado para abrir e imprimir dados sigilosos das declarações de renda. Documentos obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo revelam que, em 27 de julho, a servidora depôs no inquérito da corregedoria e afirmou que estava fora no período em que as declarações foram consultadas.

A senha utilizada para acessar os dados foram de outra servidora, Antonia Aparecida, que teria repassado a senha para uma colega. Em depoimento, Antonia também nega envolvimento ao episódio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.