Rebelo pedirá aos aliados que aprovem rápido MP dos Bingos

O ministro da Coordenação Política e Assuntos Institucionais, Aldo Rebelo, informou que o governo pedirá empenho à base aliada para que seja aprovada, o mais rápido possível, a Medida Provisória 168, que proíbe o funcionamento de casas de bingos e máquinas caça-níqueis em todo o País. Rebelo disse que já foi marcada uma reunião com integrantes da base de sustentação do governo na Câmara e no Senado para a próxima terça-feira, mas negou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteja planejando a estatização dos jogos."Não se trata de estatização e sim da proibição de bingos e máquinas caça-níqueis", garantiu o ministro, que não quis dar nenhuma informação sobre a comissão de sindicância instalada para investigar as atividades do ex-chefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil, Waldomiro Diniz. "A comissão tem total liberdade de ação e prazo de 30 dias para apresentar os resultados das investigações", observou Rebelo. Ele disse que integrantes da comissão lhe pediram documentos para analisar. Perguntado sobre quais seriam esses papéis, esquivou-se: "Eu não me lembro". Rebelo tampouco quis pronunciar-se sobre a conveniência da CPI dos Bingos, proposta pelo senador Magno Malta (PL-ES). "Ao governo não cabe decidir se apóia ou não a CPI dos Bingos, nem interferir no trabalho do Congresso", afirmou. Depois, perguntado se o governo torce para que a CPI dos Bingos saia, ele foi evasivo. "Cada ministro pode torcer por um time - Palmeiras, Corinthians, Flamengo -, mas, no caso da CPI, não tem que ter torcida organizada", desconversou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.