Rebelo nega desentendimentos entre Dirceu e Gushiken

O ministro-chefe da Secretaria de Coordenação Política, Aldo Rebelo, negou que o almoço que teve ontem com os ministros-chefes da Casa Civil, José Dirceu, e de Comunicação de Governo, Luiz Gushiken, tenha tido por objetivo apaziguar a relação entre os dois ministros. Interlocutores de Dirceu entendem que Gushiken tem aproveitado o episódio do envolvimento do ex-assessor do Palácio do Planalto Waldomiro Diniz para enfraquecer o ministro-chefe da Casa Civil no governo. "Não foi para apaziguar, porque não há o que apaziguar", afirmou Rebelo, ao deixar o encontro do PCdoB, seu partido. Segundo ele, tratou-se de uma reunião de consulta e troca de idéias sobre o dia-a-dia do governo. Ele negou que haja um clima ruim entre Gushike n e Dirceu. "Não havia, não há e não haverá", afirmou. "Há um entendimento, que eu não diria perfeito, porque a perfeição é busca permanente do ser humano; mas nós estamos trabalhando com grande espírito de unidade". Rebelo qualificou a estratégia dos aliados para barrar a CPI dos Bingos de "uma decisão que corresponde à unidade da base no Senado". Ele evitou fazer comentários sobre a decisão, mas observou que o governo conta com a solidariedade e apoio da base aliada para seguir em seu programa de retomada do desenvolvimento, distribuição de renda e geração de empregoss. "Da parte do governo, não houve iniciativa ou ação para abafar ou desabafar qualquer coisa", afirmou Rebelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.