Rebelo diz que, pelo visto, continua no governo

O ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, negou que se sinta desconfortável no governo, apesar das disputas com o chefe da Casa Civil, José Dirceu. Ao ser questionado se continuará no cargo, foi lacônico: "Pelo visto, sim". Sobre estocadas na sua direção, dirigidas por ministros e parlamentares petistas, Rebelo também foi econômico nas palavras. "Estou tranqüilo", disse. Afirmou, porém, que recebeu telefonemas de solidariedade após a reunião da cúpula petista, realizada na casa do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, no último dia 19. Além do anfitrião Palocci, o encontro contou com a presença dos ministros José Dirceu (Casa Civil) e Luiz Gushiken (Secretaria de Comunicação do Governo), do presidente do PT, José Genoino, do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), dos líderes do governo na Câmara, Professor Luizinho (PT-SP), e no Senado, Aloízio Mercadante (PT-SP), e do deputado Arlindo Chinaglia, que comanda a bancada petista na Câmara. A versão oficial é que a reunião foi para tratar dos rumos do governo e das votações na Câmara e no Senado, mas sabe-se que a disputa de poder entre Dirceu e Rebelo ocupou boa parte das conversas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.