Rebelo diz que Lula telefonou para agradecer aprovação do mínimo

O ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, disse que recebeu um telefonema do presidente Luiz Inácio Lula da Silva logo após o final da votação, no qual agradeceu o esforço feito para aprovação do mínimo de R$ 260. "A vitória do governo na Câmara demonstra a existência de uma base sólida do governo. A questão do Senado exige esforço por parte do governo para a construção de uma maioria no Senado, coisa que o governo não tinha e não tem hoje", avaliou. Rebelo afirmou que é preciso registrar que esse salário mínimo "é ainda insuficiente e incompatível com as necessidades dos trabalhadores, mas ainda assim é o maior salário mínimo em poder de compra do Brasil nos últimos doze anos". Ele afirmou que o presidente tem compromisso com o salário mínimo e a forma de viabilizar este compromisso é a criação de uma política de recomposição. Segundo ele, a proposta para recompor o mínimo está sendo partilhada com a base da Câmara e do Senado por meio do deputado Vígilio Guimarães (PT-MG) e do senador Cristovam Buarque (PT-DF), que estão formulando propostas. A idéia é que ainda este ano se chegue a uma fórmula.Segundo o ministro, com a volta do crescimento econômico, o presidente vai cumprir seu compromisso histórico de resgatar o valor do salário mínimo. O ministro disse que contou com a colaboração do ministro da Casa Civil, José Dirceu. "Sempre cooperou comigo no trabalho como líder do governo e agora como ministro da Articulação Política, no Senado e em todas as tarefas", afirmou. Rebelo disse ainda que a vitória na Câmara não é motivo para comemorações. "Comemorar o quê? Não é jogo do Brasil e não é jogo do Palmeiras para ficar comemorando", respondeu. Sobre o voto contrário de alguns deputados do PC do B, o seu partido, e do PT, o ministro disse que o assunto tem que ser avaliado pelos partidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.