Rebelo discutirá com líderes tramitação da PEC da Previdência

O ministro da Secretaria de Coordenação Política, Aldo Rebelo, disse, depois de um café da manhã com senadores do bloco governista, que a aprovação da proposta de emenda constitucional (PEC) paralela, qua atenua regras da reforma da Previdência, é um compromisso celebrado entre líderes da base aliada no Senado com o governo. Ele garantia que será respeitada a autonomia da Câmara na discussão do tema e prometeu conversar com os líderes em busca de um melhor caminho para a tramitação da matéria. A PEC paralela está tramitando na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e na próxima semana deverá receber parecer do relator, deputado Maurício Rands (PT-PE). "Evidentemente que o governo tem compromisso com a PEC paralela, mas respeitando a autonomia da Câmara", afirmou Rebelo, ao sair do encontro. Para o ministro, a convocação extraordinária "já é vitoriosa", apesar de não estar prevista a votação das mudanças na reforma da Previdência. Nesse primeiro encontro de hoje com os senadores dos partidos aliados, Aldo Rebelo saiu com uma lista contendo observações feitas pelos senadores, sobretudo preocupações com abordagem de temas como transgênicos, a questão indígena e até mesmo a crise da Parmalat. Em relação ao problema envolvendo produtores de leite e trabalhadores da Parmalat, Rebelo disse que tem consciência de que precisa agir com cautela para proteger o dinheiro público. Alguns senadores pediram também a melhoria das relações com o Executivo, solicitando mais audiências e informações dos ministros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.