Rebelião deixa morto e feridos em Cuiabá

Um preso morreu e outros dois ficaram feridos numa rebelião ocorrida nesta segunda à noite e nesta madrugada na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), em Cuiabá.O motim, que por pouco não acabou em tentativa de fuga em massa, teria sido provocado pela superlotação na cadeia que abriga 107 presos, quando só há vagas para 40. Os 107 detentos se revoltaram e tomaram o carcereiro Élcio dos Santos como refém e se apossaram de duas metralhadoras.Na rebelião que durou mais de 8 horas, houve troca de tiros, e Luiz Carlos Neris Almeida, 20 anos. Os detentos Jorge Luiz Moraes e Joselito dos Santos ficaram feridos. Segundo o delegado Antônio Carlos Garcia, o motim que mobilizou mais de 50 policiais civis e militares, terminou às 8 horas com a entrega das duas armas que estavam com os presos. De acordo com o delegado, o problema de superlotação repete-se em grande parte das delegacias, cadeias e presídios de Mato Grosso.A Delegacia Municipal de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, tem capacidade para 25 presos, mas hoje abriga 89. Já na Cadeia Pública de Santo Antônio de Leverger, a 30 quilômetros da capital, que deveria abrigar 80 presos, atualmente está com 172 detentos. O Presídio do Carumbé, em Cuiabá, tem hoje 365 presos, onde deveriam estar apenas 250. No entanto, o presídio considerado de segurança máxima da Mata Grande, em Rondonópolis, tem capacidade para 700 presos, abrigando, contudo, apenas 277 detentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.