Rebeldes do PMDB articulam com oposição criação de chapa paralela para Comissão do impeachment

Como o líder do partido tem anunciado nomes governistas ou contrários ao afastamento de Dilma, descontentes discutem possibilidade de esvaziar chapa oficial e trabalhar para lançar uma lista com outros 65 nomes para formar colegiado

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2015 | 16h40

BRASÍLIA - A ala peemedebista descontente com o perfil moderado defendido pelo líder da bancada, Leonardo Picciani (RJ), para integrar a Comissão Especial do impeachmentse reúne nesta segunda-feira, 7, com líderes da oposição para discutir a possibilidade de formar uma chapa paralela de integrantes do colegiado.

Como Picciani tem anunciado nomes governistas ou contrários ao afastamento de Dilma Rousseff, os descontentes discutem a possibilidade de esvaziar a chapa oficial e trabalhar para lançar uma lista com outros 65 nomes para formar a Comissão.

A partir das 18h, os deputados vão votar a chapa que vai formar a Comissão Especial. Em princípio, estava prevista a formação de apenas uma chapa oficial, com a indicação de todos os partidos dentro do critério da proporcionalidade. O PMDB, fiel da balança, deve excluir da lista dos oito indicados os parlamentares antigoverno. Essa decisão irritou essa ala da sigla, que busca como alternativa a eleição de um colegiado a partir de uma segunda chapa.

Nessa estratégia, PSDB e DEM poderiam deixar de indicar seus representantes para a chapa oficial, para a qual o líder Picciani já apresentou seus escolhidos. Só indicariam integrantes, então, para a segunda chapa, para a qual os peemedebistas rebeldes se autoindicariam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.